História de Vida. Vaiado por 5 mil pessoas.

Saiba o que sente uma pessoa após levar uma vaia de CINCO MIL PESSOAS

HISTÓRIA DE VIDA

 

Desde muito jovem, por ser tímido, manifestei receio de me expor em público. Em qualquer situação eu tremia. A dificuldade pode ter origem na personalidade da pessoa, numa criação muito severa ou mesmo ser o resultado de uma experiência de exposição forte em sala de aula ou numa reunião familiar.

É difícil identificar o momento exato em que percebi que teria problemas para falar mas me recordo que o receio me acompanha há muito tempo.

Na chamada em sala de aula eu sofria para falar meu nome.

A professora repetia Jorge David: e eu balbuciava: presente.

Minha vida foi assim! Sempre fugindo na hora de sanar minhas dúvidas em sala de aula..

Na faculdade meus problemas ficaram insuportáveis.

Eu preparava o trabalho escrito, carregava os colegas do grupo na garupa e quando chegava a hora de apresentar minha parte. Um desastre!

Minhas notas eram sempre as mais baixas.

Durante reuniões de trabalho sempre me esquivei de oferecer minha opinião.

Passei longo tempo pensando que seria capaz de me expressar com qualidade.

Entretanto, nunca acreditei no meu potencial.

É interessante lembrar estes momentos pois muitas vezes eu culpava meus colegas de trabalho ou meu chefe pela falta de oportunidades mas na verdade era eu que fugia delas todo o tempo.

A pressão interna aumentava e as responsabilidades profissionais também. Só o medo de falar não mudava.

Com o tempo acabamos imaginando que somos o único ser na face da Terra que tem esse problema.

A descoberta de que todas as pessoas tem algum receio é surpreendente e animadora.

Por outro lado não adianta nada saber disso e continuar com medo e sem praticar a comunicação verbal.

Toda essa pressão interna que relatei até aqui esteve focada na atividade profissional.

Vocês nem imaginam o que eu passava na hora de tentar conhecer uma garota.

Em maio de 1989, quebrei meu paradigma limitador e me escrevi para falar numa assembléia.

Depois de me inscrever fiquei desesperado.

Havia CINCO MIL PESSOAS no local!.

Fui chamado e apesar dos conteúdos estarem bem claros na minha mente, não consegui falar, travei e recebi uma bela vaia das cinco mil pessoas.

Foi uma experiência inesquecível que vivo novamente quando faço este relato. Após a vaia o que fazer. Nada pois a sensação é muito forte.

Fui convencido pelo presidente do sindicato. Aceitei o desafio e consegui arrancar aplausos na segunda tentativa. Rompi meu bloqueio.

É preciso superar limites e quebrar condicionamentos

Durante nosso crescimento recebemos muitas opiniões e valorações que determinam nosso estilo de ser. Este processo quando não é criticado pode determinar o estabelecimento de bloqueios emocionais que influenciarão nossa capacidade de expressão verbal para o resto da vida.

Prof. David Telles

Diretor do IOE